Você conhece o tijolo ecológico?

Tijolo ecológico, também conhecido como tijolo solo-cimento, é o resultado que se obtém da mistura da terra, do cimento, areia e alguns aditivos. Os elementos são misturados de forma homogenia e compactados por prensas manuais ou hidráulicas, recebendo até 6 toneladas de pressão.

Ele recebe esse nome por conta do seu processo de fabricação, onde a queima não é necessária e por tal, não ocorre a utilização de lenha e a liberação de CO2 como nos outros modelos de cerâmica. Os tijolos ecológicos passam pelo processo de hidrocura, ou seja, são curados com água até adquirirem a resistência adequada.

Vantagens do tijolo ecológico

  • Por ser um sistema autoportante, sua utilização em obras dispensa o uso de pilares e vigas. Com isso, se tem menos desperdício de material e mais economia em sua obra;
  • As colunas são embutidas em seus furos, distribuindo melhor a carga de peso sobre as paredes;
  • A tubulação elétrica bem como a hidráulica é executada conforme a parede vai sendo montada, sem que você tenha que quebrar posteriormente, otimizando os custos e o tempo hábil de construção;
  • Fácil acabamento. Se preferir não precisa rebocar e pintar, economizando mais ainda. Os tijolos ecológicos possuem faces lisas, semelhante aos tijolos aparentes, devendo receber apenas um impermeabilizante;
  • Os furos no meio dos tijolos formam câmaras de ar que auxiliam no isolamento térmico, regulando a temperatura interna e no isolamento acústico, diminuindo os ruídos externos;
  • Diminuição do tempo de construção. Os encaixes favorecem o alinhamento e prumo da parede, podendo reduzir o tempo da construção em até 30% com relação a alvenaria convencional

No entanto, o tijolo ecológico apresenta algumas desvantagens

  • Uma desvantagem do tijolo é seu peso. No caso de sobrados, é preciso ter a preocupação de fazer parede sobre parede. Grandes vãos e vigas em balanço devem ser evitados;
  • Absorve mais umidade do que o tijolo convencional, precisando de mais impermeabilização;
  • Por ser de alvenaria estrutural, impõe restrições à remoção de paredes e abertura de novos vãos;
  • As especificações hidráulicas e elétricas devem ser muito bem planejadas. Essa atenção evitará possíveis mudanças durante a execução da obra, falhas ou localização errada de interruptores, evitando quebras e reparos futuros;
  • No caso de paredes com o tijolo exposto, caso seja necessário fazer algum conserto, é muito difícil não ficar evidente que foi feito o reparo. E é necessário encontrar tijolos com tonalidade semelhante para repor os danificados, o que não é tão simples assim;
  • Precisa de mão de obra especializada;
  • Por ser um tijolo muito poroso, uma vez manchado, manchado para sempre;
  • Baixa resistência a impactos, em áreas como quinas e cantos;
  • Os fabricantes não seguem uma padronização, sendo que cada um produz com medidas próprias.

Assim com todos os materiais construtivos, deve-se analisar a adequação do uso em cada caso específico, e sempre contar com a consultoria de um arquiteto e engenheiro. Quer saber mais detalhes? Entre em contato!