A arquitetura e o clima

A arquitetura e o clima

A arquitetura desempenha um papel importante no desenvolvimento de nossa sociedade. Estratégias e técnicas na construção permitem uma imensa evolução no desenvolvimento dos centros urbanos e com isso, um grande desafio perante as alterações climáticas.

O clima já não é mais o mesmo e precisamos nos adaptar. Em vista disso, nós arquitetos e engenheiros, precisamos nos atualizar em relação às novidades do mercado.

Qual é a relação entre clima e arquitetura?

As temperaturas estão cada vez mais imprevisíveis e uma moradia deve ser construída para atender essa demanda. Novas tecnologias auxiliam para usufruir ao máximo do clima onde você mora, sempre respeitando a sustentabilidade e o uso consciente do espaço urbano.

Economia no consumo de água e energia e aproveitamento total das técnicas construtivas e equipamentos focados para esta necessidade.

Como um clima quente e seco interfere na construção civil?

As construções em temperaturas quentes devem priorizar a ventilação natural e a proteção solar , por exemplo, com beirais mais largos, brises, fundamentais na garantia do conforto ambiental. Soluções que criam um ambiente sustentável em que a redução do consumo de energia elétrica é uma de suas principais vantagens.

 

 

 

E o inverno?

Partindo para o outro extremo, os climas frios também interferem em uma obra. O isolamento térmico é fundamental. Sua principal função é manter o ambiente interno aquecido e fazer com que o calor gerado não se desperdice para o exterior.

A construção dos telhados das residências também necessita de cuidados especiais, mantas térmicas a fim de isolar o frio. As portas e janelas também com proteção para evitar a troca de calor. Da mesma forma, paredes mais grossas e revestimentos especiais auxiliam na preservação do calor interno.

O cuidado com a natureza e o consumo consciente de seus recursos asseguram o bem-estar de todos e o futuro das próximas gerações. Analisamos sempre os fatores regionais de nossos projetos para obter soluções eficientes para ter o máximo de aproveitamento do clima onde a construção será feita.

Venha até o nosso escritório planejar o seu sonho! Ficaremos felizes em recebe-lo(a)!

Paisagismo e jardinagem. Qual a diferença?

Podemos afirmar que as áreas verdes desempenham importante papel em nosso convívio, principalmente nas grandes cidades, onde o asfalto e grandes construções são a maioria.
É comprovado que a falta do verde contribui para uma qualidade de vida inferior, o que infelizmente não se resume apenas à preservação ambiental, mas que também afeta diretamente o apelo estético de um determinado lugar.


Via: florevidafloricultura

Com o crescimento urbano, que ocorre sem planejamento, os moradores vêm procurando meios de trazer para perto de si o verde que um dia foi naturalmente parte integrante desses espaços.
O paisagismo e a jardinagem marcam presença com funções distintas e estão intimamente ligadas.

O arquiteto e paisagista planejamento a criação do projeto, gestão e preservação de espaços livres, que podem ser internos ou externos, públicos ou privados. A principal função é promover a integração do homem com a natureza de uma maneira estética, funcional e que, acima de tudo, proporcione qualidade de vida e está intimamente ligada à arquitetura, envolvendo criação artística e design.

A jardinagem, por sua vez, consiste em um conjunto de técnicas usadas no plantio e manutenção de jardins. Vale lembrar que o paisagismo atua de forma mais ampla que a jardinagem e vai muito além dos jardins internos e externos de ambientes diversos. Pode-se dizer que o trabalho do arquiteto e do paisagista é multidisciplinar, englobando não só projetos de jardins, parques e praças urbanas, mas também planos de desenho urbano e de restauro, requalificação e preservação do ambiente da cidade. Além disso, é essencial em planos urbanos e de estudos de manejo ambiental regional, propostas de tratamento paisagístico de vias urbanas e autoestradas. Projetos de recomposição paisagística em escala territorial, programas de educação ambiental e criação de parques nacionais e reservas de proteção a ecossistemas ameaçados.
Afinal de contas, viver em um ambiente verde, além e ser lindo, é extremamente importante termos o contato com a natureza.

Venha tomar um café com a gente e deixar sua casa mais verde e florida.

 

Decoração na primavera

Além de arranjos de flores nos ambientes, criar uma atmosfera colorida e alto astral na primavera cheio de cores e com frescor para os dias ensolarados. Com a chegada da primavera, o clima do lado de fora se transforma completamente. Dentro de casa, primeiramente fazer pequenas mudanças para entrar no mesmo clima da estação vale super a pena!

Abaixo, algumas sugestões de como deixar a decoração no clima porque nada melhor que passar a primavera com estilo:

Cores na parede

Mudar a cor de uma das paredes adicionando tons alegres e vibrantes transforma completamente a decoração deixando assim um ambiente mais vivo. Mais práticos, os papéis de parede desempenham bem essa função.

(Foto: Sidney Doll)

Almofadas

O acessório é uma alternativa ótima para mudar a decoração gastando pouco. Uma dica entretanto é trocar as capas das almofadas por modelos com cores mais claras e pequenos detalhes da natureza. Com tamanhos variados, escolhendo tons de amarelo e verde e estampas botânicas para a sala dando uma bela harmonia.

Cortinas

Permitir que a luz do sol entre nos ambientes, deixando assim espaços mais aconchegantes, vale investir em cortinas de tecidos leves e claros. Elas permitem suavidade da luz natural. Aposte em linho, voil, gaze de linho, seda e organdi.

Floresta urbana

Na varanda ou dentro de casa, a tendência das florestas urbanas, com a casa de plantas, criando um refúgio particular – ótimo antídoto às rotinas estressantes.
Usar variedades de plantas como ficus lyrata, filodendros, palmeiras chamaedoreas, pata de elefante, clusias, evônimos e buxus, por exemplo. É ótimo criar uma conexão com a natureza no lar, seja em varandas, quintais, ou até mesmo num jardim vertical na sala de estar. O importante é ter criatividade e procurar as espécies e tamanhos que combinem e funcionem em cada espaço.

Flores

As flores não podiam ficar de fora! A marca registrada da primavera, dão um up na decoração. Para criar os arranjos florais, é preciso ficar atento ao estilo da decoração e avaliar as condições do ambiente em relação a ventilação, intensidade de sol, sombra, etc. Em ambientes como a sala, por exemplo, é mais fácil brincar com as cores das flores. Já em espaços com tons vibrantes, o ideal é apostar em espécies neutras. Entre as mais usadas nos arranjos estão gérberas, orquídeas, lírios e camélias.

Você também ficou com vontade de deixar a sua casa com a cara da primavera?
Venha até o nosso escritório para deixar seu dia a dia mais florido!

Conheça as características do estilo escandinavo na decoração

Depois do estilo industrial, a tendência da vez em arquitetura e decoração é o estilo escandinavo.

Características desse estilo

O estilo escandinavo nada mais é do que uma decoração clean, minimalista, natural e aconchegante, com linhas sóbrias, e acabamentos de alta qualidade, cores neutras que transmitem simplicidade e conforto.
Geralmente são cômodos práticos, funcionais e bonitos. Ambientes elegantes e modernos, que misturam com elementos clássicos.

 

Estilo Escandinavo

É preciso contextualizar o estilo escandinavo. As referências de alta qualidade são países como Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Islândia. Esses países tem em comum o clima, os dias mais curtos e quase sempre nublados, o que demanda cores claras, que trazem luz para os ambientes.

O design escandinavo teve início por volta do ano de 1897, com a Exposição de Artes e Indústrias de Estocolmo, mas seu auge foi alcançado na década de 1950. Entre os artistas que representam o estilo estão: Louise Campbell, Hans Wegner, Eero Saarinen, Arne Jacobsen, Verner Panton e Nanna Ditzel.

 

A importância das cores

As cores são um ponto chave desse estilo, as cores que refletem luz são importantes para deixar os ambientes mais claros, independentemente da iluminação “de fora”. O ideal são cores neutras e sóbrias, como branco, bege, nude e off-white. O cinza e o rosa millennial também são essenciais.

 

Materiais e elementos naturais

Outra característica marcante é a referência ao natural, por isso é comum encontrar algumas plantas e elementos de madeira, pedras, lã e algodão.

 

Atenção aos detalhes e na alta qualidade

 

É comum que projetos com o estilo escandinavo tenham ambientes integrados, como a sala e a cozinha.
Tão importante quanto a escolha do sofá é a escolha dos eletrônicos e eletrodomésticos, que vão estar sempre visíveis. Parece um detalhe, mas faz toda a diferença. Nesse sentido, o estilo pede, produtos em aço inox, que combinam muito com essa tendência.

 

Quer deixar a sua casa ainda mais linda? Faça-nos uma visita!

O que é o Plantscaping?

Você já ouviu falar sobre “O que é o Plantscaping?”

 

A rotina da população está cada vez mais agitada, e muitas pessoas acabam se afastando da natureza. Porque os horários são muito curtos entre uma folga e outra do dia-a-dia.

Estima-se que as pessoas fiquem, atualmente, cerca de 90% do dia em ambientes fechados, principalmente em escritórios, trabalhando.

A maioria dos interiores empresariais não é adequadamente planejado para receber jardins ou sequer vasos de plantas. E isso pode ser algo ruim tanto para a saúde quanto para a produtividade dos empregados.

Uma forma das empresas melhorarem sua eficiência, é investir em um bom planejamento de ambiente.

Nesse sentido, um nicho de trabalho que vem crescendo no mundo corporativo, e se tratando do gerenciamento de instalações, restaurantes, lojas e escritórios, há uma forte tendência em voga na arquitetura, que é a prática do Plantscaping.

 

Entretanto Plantscaping é um tipo de estratégia que a arquitetura usa para acrescentar o verde em suas propostas. É uma combinação de arte, design, psicologia ambiental e técnicas de cultivo. É um jeito criativo de imitar o ambiente natural e emitir as sensações mais agradáveis e aconchegantes.

Um café em uma loja com o Plantscaping implantado. (Fonte: Pinterest)

O Plantscaping na decoração de interiores

 

Trata-se de unir a natureza com os interiores, com o propósito de fornecer a melhor qualidade de vida, podendo cuidar de ambientes de recreação, comércio e aprendizagem. É preciso saber que as plantas são ótimas para reduzir a umidade, extrair o excesso de calor e melhorar a qualidade do ar e a acústica dos ambientes.

Pesquisadores comprovam que a produtividade e a criatividade das pessoas aumentam quando estão em meio a natureza, e menos índices de depressão e estresse ao longo de sua vida profissional.

Com isso, é preciso considerar o impacto das plantas em espaços empresariais em usuários.

Um restaurante que aplicou também o Plantscaping.

 

Ficou interessado? Entre em contato conosco e deixe seu dia a dia mais florido!